12 Novembro, 2009

REALIZAR-SE COMO PESSOA RESPONSÁVEL

Crescer como pessoa responsável é uma tarefa que ninguém pode realizar por nós.
Mas também é verdade que ninguém é capaz de se tornar uma pessoa responsável desligando-se dos outros, pois todos nós começamos por ser o que os outros fizeram de nós.

A responsabilidade começa por ser uma atitude de fidelidade aos talentos, isto é, às possibilidades de realização de que dispomos.

No íntimo da nossa consciência somos interpelados pelos valores que os outros nos transmitiram através do processo educativo.

A fidelidade ao chamamento que nos é feito pelos talentos passa por uma série de atitudes e opções concretas das quais vamos enumerar algumas:

Quando nos comprometemos a realizar uma coisa, sejamos fiéis a esse compromisso. Um ser humano que normalmente não responde pelos compromissos que assume não chegará longe na sua realização como pessoa adulta e responsável.

É fundamental responsabilizar-se pelos próprios actos sem cair na tentação das desculpas fáceis ou culpar os outros pelos seus fracassos.

Sempre que assumimos a responsabilidade das nossas atitudes e acções estamos a estruturar-nos como pessoas capazes de gerir a sua vida e o processo da sua humanização.

Devemos assumir com plena consciência o cumprimento dos nossos deveres e realizar os nossos projectos e tarefas.

Não fiquemos à espera que sejam os outros a lembrar-nos a hora ou o cumprimento dos nossos deveres.

Seremos dignos de confiança na medida em que formos responsáveis pelos nossos planos e compromissos.

Quando alguém der provas de confiança em nós, comunicando-nos as suas coisas mais íntimas saibamos guardar segredo.

A pessoa que trai a confiança que alguém depositou nela não é responsável nem é digna da confiança dos outros.

Habituemo-nos a reflectir antes de agir, a fim de actuarmos como pessoas responsáveis.
Se estivermos atentos e soubermos medir as consequências dos nossos actos, podemos ter a certeza de que nos estamos a realizar como pessoas verdadeiramente responsáveis.

Uma pessoa que age habitualmente de modo irreflectido e precipitado dificilmente chegará ser uma pessoa responsável.

Não deixemos de realizar os nossos projectos, sejam eles fáceis ou difíceis. Quando tivermos de realizar um trabalho que nos foi pedido, procuremos realizá-lo a tempo e horas.
Podemos ter a certeza de que a nossa responsabilidade crescerá na medida em que formos fiéis aos nossos deveres.
Isto quer dizer que a responsabilidade é a capacidade de responder de modo fiel e adequado aos seus deveres e compromissos.
Como acontece com todas as outras capacidades humanas, a nossa responsabilidade é algo que cresce com o exercício, pois o ser humano faz-se, fazendo.

A pessoa humana não nasce responsável, tal como não nasce consciente ou livre. Na verdade, o ser humano vai-se tornando responsável de modo gradual e progressivo.

Deus não nos criou acabados, a fim de podermos ser autores de nós mesmos e crescer como pessoas livres, únicas e responsáveis.

No evangelho de São Mateus, Jesus ensina-nos a ser responsável, dando o melhor de nós de acordo com os talentos que temos (Mt 25, 14-30).

Enquanto capacidade de responder de modo fiel aos nossos talentos, podemos dizer que a responsabilidade cresce em conjunto com a nossa consciência e liberdade.

Como ser consciente, a pessoa descobre o leque das suas possibilidades de realização, tanto a nível pessoal como social.

Como ser livre, a pessoa é capaz se relacionar de modo fraternal e cooperador com os outros, bem como interagir de modo criador com os acontecimentos e as coisas.

Como capacidade associada à consciência e à liberdade, a responsabilidade não é uma capacidade estática, isto é, oposta a suscitar a novidade nas suas opções e na sua realização pessoal.

Em Comunhão Convosco
Calmeiro Matias


Sem comentários: